19 abril, 2008

Insônia

Quando a idéia vem e a mente não pára
Não consigo dormir, algo me apavora
Sei lá vai ver é a modernidade que dá sintomas
De ser alguém sem querer
Destas palavras que não são minha mas de alguém

4 comentários:

William Wollinger Brenuvida disse...

Oi Amanda... Os primeiros poemas de "O Menino e as estrelas" vieram assim, do acordar no meio da madrugada... um apelo de não sei de onde. Sobre isso gostaria, particularmente, conversar com você qualquer hora...

De uma outra forma... estamos fadados a insônia nessa contemporaneidade permeada por valores modernos, pós-modernos, antigos... Não sabemos. O tempo é uma eferméride... tudo se faz e desfaz nas barreiras da consciência...

Parabéns pelo blog, pensamentos, textos diversos!
William

Poesia em Rede disse...

Se procura "Poesia em Rede - Concursos de Poesia" entre em http://poesiaemrede.no.sapo.pt/

***Poesia em Rede*** disse...

http://poesiaemrede.no.sapo.pt/

***Poesia em Rede*** disse...

Clique no link acima e entra directamente em ***Poesia em Rede***